9 perfis no Instagram de mulheres reais para você conferir

Quando você abre o seu feed, como é o perfil das pessoas que aparecem? Provavelmente, a maioria segue as características hegemônicas, principalmente se você tende a seguir muitos influencers, por exemplo. Pessoas brancas, magras, jovens, sem deficiência - assim como aquelas que vemos em propagandas, séries, filmes, novelas.


Esse padrão se dá em todo o lugar, inclusive no nicho de micro-influencers (que são aqueles perfis que possuem entre 5 mil e 10 mil seguidores). Uma pesquisa mostrou que grande parte desse grupo são mulheres (75%), que moram no Sudeste (70%) e tem de 26 a 35 anos (50%). Em relação a raça, não há estudo propriamente dito, mas é fácil perceber a prevalência maciça de brancos.


Em diversas listas analisadas com os perfis brasileiros com mais seguidores, não há nenhuma mulher que se declara preta ou que seja gorda. Elas têm até, no máximo, 30 anos e também não possuem nenhuma deficiência, seja física, cognitiva, auditiva ou visual. Por isso, não é difícil concluir que quanto mais dentro do padrão você está, mais fácil é conseguir seguidores.


Mas isso não é necessariamente algo bom. Inclusive, para quem consome, só se deparar com corpos brancos e magros, completamente aceitos pela sociedade pode ser um tiro no pé. Afinal, podemos pensar que o problema está com a gente, porque não somos parecidos com aquelas pessoas. A verdade, entretanto, é ao contrário.


Existem mais pessoas "fora do padrão" do que dentro dele. E isso não é de maneira nenhum um demérito. Por isso, hoje separamos 9 perfis no Instagram de mulheres reais, que, por algum motivo, não se encaixam em algum ideal específico da sociedade, mas que mesmo assim são lindas. O objetivo é provar de uma vez por todas que a beleza se dá de diversas formas, como você vai conseguir reparar por aqui!


1. Milena Paulina


"Uma mulher negra, gorda, bi" é como Milena se apresenta em seu Instagram, @olhardepaulina_. Por essa pequena introdução, é fácil perceber que a jovem de 25 anos está acostumada a quebrar paradigmas, né? E faz isso com todo talento e beleza. É fotógrafa, escritora e palestrante, além de ser o nome por trás de projetos muito legais, como o "Eu, gorda" com o qual viajou pelo Brasil, fotografando mais de 300 pessoas.



2. Yasmin Mello


Yasmin Mello é o nome da pessoa que leva a página @CariocaPerneta no Instagram. Em seu perfil, a estudante de Psicologia fala sobre ser uma mulher com deficiência, mostrando que ela é como qualquer outra pessoa. O que parece óbvio, mas às vezes precisa ser dito. Vale super acompanhar Yasmin nas redes já que tem muita foto linda, além de poesia (sim, ela é artista também), dicas para o dia a dia, dança e humor.



3. Larissa Sampaio


Quando pensamos em modelo e vitiligo, provavelmente um dos primeiros nomes que vem à mente é o de Winnie Harlow, uma supermodel bem conhecida que começou a ganhar fama após participar do American Next Top Model. Mas a real é que um nome, apesar de importante, não é suficiente para abranger uma condição que atinge cerca de 3 milhões de brasileiros. E essa é uma das coisas que Larissa faz com maestria: representar as pessoas com vitiligo. "Minha pele, minha história", diz a modelo em sua bio.



4. Maqui Nóbrega


Maqui é sócia e melhor amiga da youtuber Karol Pinheiro, trabalhando como designer, editora e fotógrafa. Além de tudo isso, Maqui é uma mulher gorda, confiante e, na minha opinião, inteligentíssima, engraçada e ácida. Uma coisa que Nóbrega costuma comentar é que não gosta quando falam que ela tem "coragem" por vestir e se comportar de tal forma, afinal, parece que é quase uma missão impossível ser gorda e confiante. Vale muito a pena acompanhar suas redes!



5. Dandara Pagu


Dandara é ativista, comunicadora, tem um canal no Youtube e uma coluna na Bonita de Pele. Ufa! Já deu para ver que é uma mulher incrível, né? Suas redes sociais são recheadas de conteúdos bem legais, desde receitas, rotina de skincare até dicas sobre o que um empresário artístico pode fazer. Em um relato super recente em seu Instagram, Dandara chamou atenção sobre a marginalização de corpos como o seu: "vivemos em uma sociedade onde o corpo preto, gordo, não é bem visto por absolutamente ninguém", diz Pagu.



6. Alina Durso


Alina faz sucesso nas redes sociais, principalmente no Twitter, no qual é conhecida como "diário de uma travesti". Infelizmente, o corpo trans ainda é bem excluído da sociedade, fazendo com que muitas mulheres tenham que lutar pelo direito apenas de existir. E é sobre isso que Alina fala em seus perfis, além de divulgar materiais e conteúdos bem didáticos, ideais para quem quer entender mais sobre a comunidade LGBTQIA+. No começo do ano, por exemplo, ela divulgou um vídeo super importante em seu canal no Youtube sobre o que pessoas cis precisam saber sobre pessoas trans!



7. Lele Martins


Cientista social em formação, Lele Martins se identifica como "blogueira pcd" no Instagram. Assim como todas as mulheres aqui, ela fala sobre um pouco de tudo. Dicas de músicas, de roupa, de cuidados com o cabelo e, claro, sua realidade como uma mulher preta com deficiência. Mesmo se você não se identifica com a vivência de Lele, não vai sair de suas redes tão cedo, já que a estudante tem uma simpatia e carisma gigante, como toda boa produtora de conteúdo deveria ter.


8. Iane Telecio


Iane é embaixadora do Acesse-me e fala em seu Instagram sobre ser uma mulher com nanismo, dentre várias outras coisas. No @aquiembaixo, como é conhecido seu perfil, tem postagens sobre livros, dicas de look e arte. Porém, a influencer busca trazer um pouco mais de conscientização sobre a causa, já que muitas pessoas com a condição são literalmente excluídas da sociedade - impossibilitadas de realizar as tarefas mais simples do dia a dia. Definitivamente um tópico que merece atenção!




9. Izaura Demari


O preconceito etário, infelizmente, é algo bem real e já foi até tema de um dos nossos "Vamos Polemizar?". Mas a verdade é que ficou no passado aquela ideia de idosos que não entendem nada de tecnologia, moda ou entretenimento. Essa noção de "prazo de validade" é extremamente preconceituosa e não beneficia ninguém, nem os velhos, nem os jovens. Por isso, vovó Izaura Demari veio provar de uma vez por todas que Instagram é lugar de idoso sim - principalmente das vovós influencers de moda como ela, tá?



____

Listas semanais com dicas selecionadas sobre filmes, séries, músicas, livros e peças teatrais. É nessa categoria que você descobre sugestões do que assistir nas plataformas de streaming ou o que fazer em um dia atoa em casa.