6 filmes que não teriam acontecido se o personagem procurasse um psicólogo

Por Luísa Silveira e Victoria Rohan


"O personagem principal começa a ficar obsessivo e cada vez mais inseguro. Ele decide procurar um psicólogo e começa a fazer terapia. Sobem os créditos do filme".


Piadas à parte, você já reparou como alguns dos melhores filmes do cinema poderiam ser reduzidos à curtas sem graças se o principal simplesmente tivesse feito terapia? Pois é, o apoio psicológico não é só de grande ajuda, como essencial em muitos casos.


Pensando nisso, para comemorar o Dia Nacional do Psicólogo, celebrado hoje (27) no Brasil, listamos seis filmes que seriam bem menores - e talvez não fizessem feito tanto sucesso - se a pessoa tivesse simplesmente respirado fundo e dado um Google nos terapeutas disponíveis na sua região.


Fica aqui o agradecimento do Telas Por Elas a todos esses profissionais que nos ajudam diariamente a manter a saúde mental e superar traumas e dificuldades do dia a dia!


1. Coringa (2019)


Todos estão cansados de saber sobre a vida do personagem icônico da DC Comics. O último filme de Coringa, estrelado por Joaquin Phoenix, deixa ainda mais claro os traumas e transtornos psicológicos e neurológicos do personagem.


O mais triste é que Arthur, o Coringa, visitava periodicamente uma assistente social, para que pudesse ter acesso a medicamentos para tratar de suas doenças. Porém, por cortes no orçamento, esse programa é finalizado, deixando o homem totalmente desamparado de ajuda profissional.


Isso faz a gente pensar em como o apoio - seja de um psicólogo, psiquiatra ou assistente social - acaba sendo, infelizmente, um privilégio que muitos não têm acesso.


2. Midsommar (2019)


Dani (Florence Pugh) é uma jovem universitária que passa por um grande trauma. Sua irmã assassina seus pais e depois comete suicídio. Nesse contexto, ela recorre ao então namorado Christian (Jack Reynor) para apoio emocional.


Porém, o jovem não parece tê-la na lista de prioridades. Em uma tentativa de se manter o mais próxima possível, Dani decide viajar com Christian e seus amigos de faculdade para uma pequena comunidade na Suécia, onde vive um dos estudantes.


Agora, se a menina tivesse buscado uma terapia - que poderia ter ajudado muito, até mesmo antes do acidente traumático - talvez percebesse o namorado abusivo que tinha, tivesse terminado a relação, ficado nos Estados Unidos e continuado seus estudos no período seguinte. A história, com certeza, seria bem, bem, diferente.



3. Cisne Negro (2010)


"Cisne Negro" foi o filme que rendeu o primeiro e único Oscar de Melhor Atriz à Natalie Portman pelo seu papel de Nina. No longa, conhecemos a personagem, que é uma bailarina ambiciosa, perfeccionista, que vive com sua mãe super protetora.


Após descobrir que o diretor artístico de sua academia não acredita que ela seria o Cisne Negro perfeito - pela sua doçura e inocência -, Nina fica bem abalada, porém, consegue fazê-lo reconsiderar a decisão.


A partir daí, vemos a personagem se afundar em traumas, alucinações e pressões psicológicas, traduzidas em uma bela metáfora de sua transformação física em um cisne negro. Sem dúvidas, a bailarina poderia se beneficiar muito de uma terapia, para trabalhar mais sua autoaceitação, questões sexuais e relacionamento materno.



4. (500) Dias com Ela (2009)


Nos anos 2010 essa era provavelmente a comédia romântica favorita de vários adolescentes e jovens adultos. Tom (Joseph Gordon-Levitt) conhece Summer (Zooey Deschanel) no trabalho e logo se sente atraído por ela. Apesar das várias investidas do personagem principal, os dois nunca engatam em um relacionamento de fato porque (pasmem) ela não quer.


Muita gente amava o filme porque dizia que mostrava como os bons moços nunca conseguem as garotas que querem. Mas a verdade é que Tom precisava mesmo era de uma terapia para aprender a lidar com rejeição.


Summer sempre deixou claro que não queria um relacionamento sério e que não via os dois como namorados. Mas Tom projetou nela a figura de sua cara-metade, a mulher perfeita para ele. E, bem, não era.



5. Garota Exemplar (2014)


Para esse filme entrar na lista preciso avisar, contaremos spoilers. Para quem não sabe a história, Amy (Rosamund Pike) desaparece misteriosamente no dia de seu aniversário de casamento. O principal suspeito acaba sendo seu marido, Nick (Ben Affleck), que é pego em meio a mentiras.


A história se desenrola com Nick tentando provar sua inocência e, ao mesmo tempo, descobrir o que aconteceu com sua esposa. No final (DE NOVO, SPOILERS!) descobrimos que na verdade tudo fora um plano elaborado por Amy para incriminar o marido e fazê-lo pagar pelo fracasso que estava sendo o casamento.


Especialistas já analisaram o filme e disseram que Amy claramente sofre de Transtorno de Personalidade Antissocial e apresenta traços de Síndrome de Borderline. Se ela tivesse consultado um terapeuta, provavelmente já teria sido encaminhada para um tratamento e o filme teria outro rumo.



6. Clube da Luta (1999)


Do mesmo diretor de "Garota Exemplar" (David Fincher), esse clássico não podia estar fora da lista. Infelizmente preciso avisar mais uma vez que contém spoiler (e dos grandes). A história mostra um homem (Edward Norton) deprimido e com problemas de insônia, que frequenta grupos de auto-ajuda. Lá, ele começa a se envolver com Marla (Helena Bonham Carter) e Tyler (Brad Pitt).


Bem misterioso e cheio de ideias, Tyler apresenta um grupo secreto que se encontra para extravasar suas angústias e tensões através de violentos combates corporais - o Clube da Luta. Já começa aí a falta de uma terapia de fato porque violência nunca resolveu problema emocional nenhum.


Mas aí vem o plot twist (de novo, spoilers): os envolvidos no tal clube secreto eram na verdade outras personalidades do personagem principal, já que ele sofre de Transtorno Dissociativo e de Identidade (TDI), também conhecido como Transtorno de Personalidade Múltiplas. Em uma terapia isso teria sido identificado e o tratamento encaminhado.



Bem, esses foram só alguns dos filmes que com certeza teriam um rumo bem diferente caso os personagens tivessem procurado ajuda profissional e feito terapia. A saúde mental é tão importante quando a saúde física e cuidar dela é cuidar de si - e dos outros também. Afinal, ninguém aqui quer ter o final desses filmes, né?


____

Listas semanais com dicas selecionadas sobre filmes, séries, músicas, livros e peças teatrais. É nessa categoria que você descobre sugestões do que assistir nas plataformas de streaming ou o que fazer em um dia atoa em casa.