Um ano de mudanças...

"Há (quase) um ano atrás o Telas Por Elas publicava o seu primeiro texto, uma crítica de um show da Vanessa Da Mata que acontecia no Dia Internacional da Mulher. E desde o dia 8 de Março de 2020, nenhum de nós seis foi o mesmo. Isso porque a gente se desafiou a escrever sobre temas que considerávamos tabus nas nossas vidas."




Desde pequena sempre ouvi minha mãe dizer que as mudanças são inevitáveis. Que querendo ou não, elas aparecem e nos tornam totalmente diferentes do que já fomos um dia. A gente cresce e percebe que nossa mãe tinha razão, porque a gente não é mais o mesmo. E o mais interessante disso tudo é que a cada dia a gente vai se modificando mais, aprendendo mais, crescendo mais... enfim, mudando mais. Então imagina o que um ano pode trazer de mudanças pra nossa vida?


Imagina se nesse ano um grupo de amigos decida iniciar algo novo? Imagina então, se esse projeto começar no ano de uma pandemia? E se esses amigos criassem algo chamado Telas Por Elas? E se o objetivo desse projeto fosse romper tabus, preconceitos e ir na contramão da sociedade machista? Nesse contexto, a gente percebe que realmente, um ano pode trazer muitas mudanças na vida de uma pessoa.


Há (quase) um ano atrás o Telas Por Elas publicava o seu primeiro texto, uma crítica de um show da Vanessa Da Mata que acontecia no Dia Internacional da Mulher. E desde o dia 8 de Março de 2020, nenhum de nós seis foi o mesmo. Isso porque a gente se desafiou a escrever sobre temas que considerávamos tabus nas nossas vidas. Isso porque a gente se redescobriu e se reencontrou como pessoas e profissionais totalmente diferentes. Isso porque seis amigos se reaproximaram, e ainda se aproximaram de mais duas pessoas..


Mas particularmente falando, eu nem me reconheço antes do Telas. Pensa numa mulher com muitos preconceitos, medos, inseguranças e tabus? Então, em um ano, ela mudou da água para o vinho. Antes do Telas Por Elas eu nunca havia pensado por exemplo sobre a pressão estética por trás da depilação, ou ainda da cobrança que muitas mulheres sofrem para serem mães, não teria conhecido mais a fundo a vida e história das mulheres incríveis do Mana Do Mês, não teria entendido mais sobre orgasmo, nem pensado fora da caixa sobre o machismo no cristianismo e ainda não teria triplicado o número de artistas ouvidas nas plataformas digitais depois dos textos de lançamentos.


Um ano me mudou muito. Mas um ano de Telas Por Elas me mudou mais ainda! Conhecer histórias, trabalhos, pessoas e projetos, me tornou diferente e me fez ter uma redescoberta como mulher. Foi um ano de mudanças mas acima de tudo foi um ano de conhecimento. Foi um ano de conhecimento mas acima de tudo um ano de conexões. Foi um ano de conexões mas acima de tudo um ano de luta. E a nossa luta não para! Não para, porque sonhamos com o dia em que todos possam entender que lugar de mulher é na cultura e onde mais ela quiser!


____


Textos não jornalísticos, para falar de manias, da vida, de amores... E todas as outras coisas o coração.