Taylor x Scooter: entenda a briga e a última jogada da cantora

Por Jéssica Riquena e Luísa Silveira de Araújo


Taylor Swift e Scooter Braun vêm protagonizando uma grande briga, desde o final do ano passado, pelos direitos autorais de quase todo o trabalho da carreira da cantora. Nesses meses, vimos algumas estratégias um pouco duvidosas da Big Machine Records, antiga gravadora de Swift, e exposições dessas injustiças, feitas pela loira em seu Instagram e Twitter, para os mais de 133 milhões de seguidores. Mas essa história acaba de ganhar mais um capítulo. E bem como diria a própria Taylor: players gonna' play.


No último domingo, 24, alguns telespectadores da terceira temporada da incrível série Killing Eve perceberam algo curioso. A abertura contou com um cover da canção Look What You Made Me Do. Porém, a versão era tão diferente - cantada por uma voz grave masculina, em um estilo indie, bem mais lento, que até mesmo parte dos swifters deixaram isso passar.


Mas, logo, a cantora foi ao seu stories no Instagram comentar sobre o caso. "Muito animada por esse cover de LWYMMD em Killing Eve feito por Jack Leopards & The Dolphin Club!!". Até aí tudo bem, já que vira e mexe, Taylor divulga e comenta sobre covers de suas músicas feitos por artistas menores ou até mesmo fãs anônimos. Entretanto, ao buscarem a faixa no Spotify, os fãs se depararam com uma espécie de "banda fantasma". Na discografia, apenas esse cover poderia ser encontrado.


Confira a canção abaixo:



Como os fãs de Taylor estão acostumados a ler tudo nas entrelinhas e buscarem coincidências e mensagens secretas nos lugares mais impossíveis, as teorias em relação à banda de Jack Leopards foram logo surgindo.


A primeira grande dica é que, segundo os créditos do Spotify, a produção da música teria sido feita por Nills Sjöberg. E, para quem não se lembra, esse foi o pseudônimo usado por Taylor Swift quando a mesma ajudou a compor This is What You Came For, parceria de Rihanna com o ex-namorado de Swift, Calvin Harries. Porém, após o término do casal, o nome falso foi retirado, fazendo com que todos descobrissem o trabalho da loira na canção. Ou seja, Taylor sabia que seus fãs não esqueceriam Nills Sjöberg tão cedo...


Além disso, muitos começaram a levantar a suspeita que a criança na capa do single de Jack Leopards & The Dolphin Club se tratava de Austin Swift, irmão da cantora. Após algumas apurações rápidas pelos fãs, a hipótese foi confirmada, já que acharam a foto original que inspirou a ilustração na capa. Essa confirmação, inclusive, fez com que muitos penassem que era o próprio Austin cantando na faixa! Mas, até agora, não temos certeza sobre isso.


Seria Austin Swift o cantor revelação do ano?

Mas o que tem de tão genial nisso?


Look What You Made Me Do foi o primeiro single do álbum Reputation, lançado em 2017, simbolizando o grande retorno de Swift ao mundo da música depois de um silêncio de três anos. Portanto, é uma faixa bem especial.


Porém, como muitos já sabem, todas as canções de Taylor, desde o álbum que carrega o nome da cantora, Taylor Swift (2006) ao Reputation (2017) pertencem a antiga gravadora da cantora, a Big Machine Records, recentemente vendida para Scooter Braun, empresário de artistas como Ariana Grande, Justin Bieber e Demi Lovato. Sendo assim, todos as canções, incluindo seus seis álbuns, lançados até 2019, não pertencem realmente a Taylor Swift.


Por ter sido compositora de todas as suas faixas, ela ainda tem o direito autoral patrimonial, ou seja, sempre precisa ser creditada pelas canções. Porém, o dinheiro vai para a Big Machine. Por isso, Lover (2019), além de ser um dos melhores trabalhos de sua carreira, é também o primeiro disco que a cantora possuí todos os direitos.


Apenas as músicas do seu novo álbum puderam ser televisionadas no "City of Lover Concert". | Foto: Reprodução.

Quando Taylor organiza um cover de sua própria canção, já que ela foi uma das compositoras, feita por outra banda e outros "produtores", a gravadora não tem direito em cima daquela reprodução, apenas da canção original, lançada há três anos. Isso quer dizer que Scooter, "infelizmente", não levou nenhum centavo com a aparição de sua canção em uma das maiores séries da BBC atualmente.


E, além disso, a escolha por Killing Eve não foi à toa - assim como praticamente nada na carreira de Taylor é. Boatos lançados pela Daily Mail disseram, no ano passado, que Swift teria encontrado Phoebe Waller-Bridge, produtora da série, em uma premiação e pedido para seu irmão cantar alguma música da trilha sonora na terceira temporada.


Sendo isso verdade ou não, o fato é que Killing Eve vem sendo revolucionária na televisão, mostrando o verdadeiro potencial das mulheres na criação - pauta que Taylor defende tão fortemente. Além de, como já dito, ser escrita e produzida por Waller-Bridge, nome por trás de alguns sucessos como Fleabag e Crashing, a produção conta com excelentes atuações de Sandra Oh (Grey's Anatomy) e Jodie Comer (My Mad Fat Diary).


Por fim, a série é inspirada na história de um livro, chamado Codinome Villanelle. Nele, o autor Luke Jennings conta um enredo básico bem similar ao da série, porém, muitas críticas ressaltam como Waller-Bridge conseguiu entregar personagens mais densos e complexos, que o escritor não teve muito sucesso, já que acabou por sexualizar demais tanto Eve, quanto Villanelle.


E se você ainda pensa que tudo isso não passa de teoria de conspiração de fã, no começo de hoje, 25, Taylor andou curtindo alguns posts em sua conta no Tumblr, incluindo um de uma fã, que fala: "Taylor em sua linha do tempo, vendo que nós conectamos os pontos", seguido por um GIF.


Post que Taylor curtiu "despretensiosamente" no Tumblr

Então, é por isso que digo, É ou NÃO É uma das artistas mais geniais da atualidade?


___

Com atualizações diárias, a categoria 'Notícias' é para quem quer ficar por dentro de tudo o que acontece com as mulheres (e para as mulheres) dentro do mundo da cultura.