Playlist: 15 canções para celebrar a Música Preta Brasileira - MPB

A Música Preta Brasileira vai muito bem, obrigado! Brincadeiras à parte com a sigla MPB, em referência ao gênero criado na década de 1960, é inegável a importância de pessoas pretas para a música brasileira. Essa relevância vai desde a criação, formação, manutenção e popularização das nossas músicas que são tão conhecida mundialmente.


Falar de música preta e popular brasileira é falar de diversidade. Samba, rock, pop, funk, soul e tantos outros gêneros se encontram e se mesclam nas canções de um país rico em pluralidade e multiétnico com referências africanas, indígenas e europeias.


A playlist MPB – Música Preta Brasileira está disponível no Spotify e seleciona 15 músicas de artistas de diferentes regiões, idades e sons. E fica a dica: você pode dar play nela no final do texto!



“Zero” - Liniker


Começar uma playlist com Liniker é anunciar que a seleção musical vai ser boa, tanto que já é a terceira playlist em que ela parece aqui no Telas. Cantora trans, preta e independente, é um dos nomes responsáveis pelo frescor da música brasileira atualmente. “Zero” foi o seu primeiro grande sucesso.



“Cuidar de Mim” – Paula Lima e Seu Jorge


Paula Lima é uma figura que também sempre marca presença por aqui. O seu trabalho vai do samba ao soul, passando pela bossa e funk. Essa mistura ainda é potencializada por um vozeirão e suingue próprios. Na playlist, “Cuidar de Mim” junto a Seu Jorge, parceiro de longa data da artista paulista.


"Azul” – Mahmundi


Apesar de um dos seus trabalhos se chamar “Para Dias Ruins”, o som da Mahmundi é recomendado para todos os momentos.Com voz suave e timbre delicioso, ela é uma artista versátil que combina acústico e sintetizadores.


“Pra Que Me Chamas” - Xênia França


A baiana Xênia França faz uma música que transcende. Suas canções falam de ancestralidade, negritude, religiosidade e memória a partir de uma sonoridade soul, black e contemporânea. Tudo isso pode ser ouvido em “Pra Que Me Chamas”.


“Ventilador” – Rachel Reis


Quem também vem da Bahia é Rachel Reis. A promissora artista prepara o seu primeiro disco, mas já soltou “Ventilador” nas plataformas digitais. Traz no seu DNA o gosto pela música do seu estado e o universo pop.


Ginga – Iza e Rincon Sapiência


De covers no YouTube a uma das principais cantoras pop do Brasil em poucos anos. Iza é um meteoro! No R&B “Ginga”, um dos seus principais sucessos, ela canta sobre representatividade e libertação junto ao rapper paulista Rincon Sapiência.



Banho de Folhas - Luedji Luna


Ela se apresenta como cantora, compositora e curandeira nas redes sociais e, com certeza, é outra baiana que não poderia faltar na playlist. Mistura R&B, jazz e blues em um som cheio de ritmo.



Libertação - Elza Soares feat. BaianaSystem e Virgínia Rodrigues


Elza Soares dispensa apresentações, verdade? Plena aos 90 anos de idade, ela se mantém ativa e com trabalhos essenciais. “Libertação” é a primeira faixa do seu último disco, o “Planeta Fome”, com participações da eletrizante banda BaianaSystem e da veterana Virgínia Rodrigues.


“Cida” – Agnes Nunes e Xamã


A voz doce e as interpretações singlares de Agnes Nunes tomaram a internet. Mas ela vai muito além! Aos 18 anos, já tem músicas com milhões de streams como “Cida”, trabalho em parceria com o rapper carioca Xamã.


“AmarElo” – Emicida, Majur e Pabllo Vittar


Tanto a letra e a melodia quanto o videoclipe de “AmarElo” são uma obra de arte. Composição de Emicida, com direito a citação ao Belchior, e participação de Majur e Pabllo Vittar não poderia dar errado. Fala de resiliência e superação. "Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro", diz a canção.


“Faz Uma Loucura Por Mim” – Malía e Alcione


Encontro de duas gerações. Malía regravou “Faz Uma Loucura Por Mim” e chamou a própria Marrom para dar voz a música lançada originalmente em 2004. Malía e Alcione cantando juntas É TUDO PARA A GENTE!


“Amuleto da Sorte” - Mariene de Castro


Faltava mais samba nessa lista, verdade? Não podemos falar da música brasileira sem citar o samba, gênero que influencia tantos outros. Com “Amuleto da Sorte”, a talentosa Mariene de Castro, baiana radicada no Rio cheia de influências afro-brasileiras, abre as portas para o gênero na playlist.



“Corra e Olha o Céu” - Teresa Cristina


Cartola (1908 – 1980) é um ícone da nossa música e não pode ser esquecido nunca. A rainha da quarentena, Teresa Cristina, gravou um DVD todo em homenagem ao mestre em 2016. “Corra e Olha o Céu” é a escolhida para a nossa playlist.



“Estácio Eu e Você” – Luiz Melodia e Zezé Motta


Luiz Melodia nos deixou em 2017, mas deixou uma obra enorme para o samba. Em 2002, convidou a grande Zezé Motta para cantar “Estácio Eu e Você”, um dos seus maiores sucessos, em uma versão acústica e deliciosa.


“Olhos Coloridos” – Sandra de Sá


Quem não conhece os versos “Meu cabelo enrolado / Todos querem imitar”? Composta por Osvaldo Costa, “Olhos Coloridos” é um clássico da soul music na voz de Sandra de Sá, quem já gravou um CD com o mesmo da nossa playlist inclusive. Power black real e oficial!


Entre artistas veteranos e outros que ainda estão começando, essa lista poderia se estender até 50, 100 ou 500 nomes. Quem sabe não vem uma parte 2 em breve? Conta para gente aqui ou nas redes sociais do Telas quem não pode faltar!




____



Listas semanais com dicas selecionadas sobre filmes, séries, músicas, livros e peças teatrais. É nessa categoria que você descobre sugestões do que assistir nas plataformas de streaming ou o que fazer em um dia atoa em casa.