Meghan Markle e Príncipe Harry revelam motivos de seu rompimento com a família real britânica

Em entrevista exclusiva a Oprah Winfrey, os duques de Sussex contam que decisão envolve racismo, mentiras e depressão


Já podemos eleger esse como o maior "furo" da realeza desde o encontro da Princesa Diana com Martin Bashir, em 1995. Divulgada ontem (7) pela CBS, Príncipe Harry e Meghan Markle deram uma entrevista para a apresentadora norte-americana Oprah Winfrey, contando detalhes de sua saída da família real britânica. A entrevista, que foi filmada em fevereiro, já estava sendo discutida há mais de três anos. "Não sei como eles [a família real] poderiam esperar que, depois de todo esse tempo, nós permaneceríamos em silêncio, enquanto a própria instituição espalha falsas alegações contra nós" explica Meghan.



Relacionamento com a família real


Meghan disse que no palácio estavam dispostos a proteger outros membros da família, "mas não estavam dispostos a dizer a verdade para proteger a mim e meu marido". Segundo a duquesa de Sussex, o palácio poderia ter derrubado a cobertura negativa dela na imprensa britânica, como a reportagem de que ela fez Kate chorar, mas não o fez. "Eles sabiam que era mentira. E se eles não iam negar coisas como essa imagina o que poderia acontecer", conta ela.


Apesar de tudo, Markle nutre muito carinho pela Rainha Elizabeth II. "A rainha sempre foi maravilhosa comigo, eu adorava estar em sua companhia. Ela sempre foi calorosa, convidativa e realmente acolhedora.”


Nascimento de Archie


Meghan afirmou que a família real se recusou a dar o título de príncipe a Archie, e que isso afetaria sua segurança. Segundo a duquesa, uma pessoa da família real britânica fez comentários sobre quão escura seria a pele de Archie. "A ideia do nosso filho não estar seguro e ele ser a primeira pessoa de cor da família e não ser tratada da mesma forma como os outros netos da rainha, por que? Eu ainda não tenho uma resposta deles para mudar a forma de trata-lo", relata Meghan.


Harry disse que o assunto da aparência dos futuros filhos do casal foi levantado bem antes de seu casamento. "Antes mesmo de nos casarmos, havia alguns sinais óbvios de que isso seria muito difícil", conta o príncipe britânico. Eles não quiseram identificar quem fez o comentário e afirmaram que nunca revelarão quem foi. Harry afirmou ainda que nenhum membro da família real protestou contra as reportagens racistas sobre sua esposa.


Depressão de Meghan


A duquesa relatou que sua vida no Palácio de Buckingham a fez se sentir tão mal que ela chegou a ter pensamentos suicidas constantes e que não recebeu nenhum tipo de apoio da família real. "Eu estava pedindo ajuda porque você não pode fazer isso sozinha. Não é possível pegar um uber no palácio e ir à uma clínica. Confiscaram meu passaporte, minhas chaves, minha carteira de motorista." Meghan disse que perguntou a um membro da realeza sobre a possiblidade de procurar atendimento hospitalar, e lhe foi dito que isso não seria possível porque "não seria bom para a instituição".


"Eu não conseguia enxergar uma solução. Minha mãe, meus amigos me ligavam chorando e dizendo que eles não estavam me protegendo. Eu tinha vergonha de admitir na época para mim e para o Harry porque eu sabia quanto ele já havia perdido, mas eu já não queria mais estar viva. Era um pensamento constante."

Em uma ocasião em 2018, Meghan disse que na noite depois de contar a Harry que estava tendo pensamentos suicidas, ela compareceu a um evento oficial no Royal Albert Hall, salão de espetáculos em Londres, contra o conselho de seu marido, porque temia o que poderia fazer a si mesma ficando sozinha em casa. Ela conta que chorou no camarote real da sala de concertos, sorrindo e posando para as fotos quando as luzes foram acesas. "Estamos sorrindo e fazendo nosso trabalho, mas ambos estamos apenas tentando nos segurar. Cada vez que aquelas luzes se apagavam naquele camarote real, eu chorava" conta ela.


"Eu não queria colocar mais peso nos ombros do meu marido. Queria trazer soluções. Não estou pensando em te dizer nada chocante, apenas a verdade. Sinto muito se você se chocou, mas passamos por muita coisa. (...) Eu perdi meu pai, perdi um bebê e perdi meu nome. Eu não vou viver a minha vida com medo. Minha esperança é que as pessoas saibam que existe um outro lado e que a vida vale a pena ser vivida."

Confira também a tradução do relato de Meghan Markle, publicado pelo New York Times em novembro de 2020


O príncipe Harry disse ter sido pego de surpresa pela depressão de sua esposa. "Eu não sabia o que fazer, não estava preparado para isso. Eu estava com vergonha de admitir que ela estava mal, não era o tipo de conversa que eu teria com a minha família. Eu não tinha ninguém para contar. Na minha família existe o pensamento de que 'é assim que as coisas são'. E não estava apenas afetando a minha esposa, mas outras pessoas. Não iria acabar bem" explica Harry.


Rompimento com a coroa


Há um ano surgiu no Reino Unido o termo Megxit (um trocadilho com o nome da duquesa e o termo Brexit), que serve para descrever o momento em que os duques de Sussex abriram mão das suas atribuições dentro da família real. O casal defendeu que sua intenção nunca foi se desvincular e que, se tivessem recebido a ajuda que pediram, teriam ficado.


"Meu pai parou de atender minhas ligações porque eu decidi tomar minhas próprias decisões. Ninguém na minha família nunca fez nada de positivo para ajudá-la. Eu precisava fazer aquilo pela minha família, pela minha saúde mental e da minha esposa", relata o príncipe. Entretanto, Harry reconheceu que, se não fosse por sua esposa, não teria se afastado. “Eu estava preso. Ela me fez ver a realidade do que estava vivendo, retido no sistema da família real. Meu pai e meu irmão continuam retidos e não vão poder sair”, afirmou.


No primeiro trimestre de 2020, Harry disse que sua família literalmente o cortou financeiramente. Segundo o príncipe, os acordos que ele e Meghan firmaram com Netflix e Spotify para fazer shows e podcasts nunca fizeram parte do plano original do casal, mas teve que garantir a segurança financeira de sua família. "Mas eu tenho o que minha mãe me deixou de herança e sem isso não teríamos sido capazes de fazer isso."


Harry falou ainda sobre sua mãe, a princesa Diana, e o fato de que sua experiência no palácio o lembrou de uma repetição histórica. "Mas talvez mais, ou definitivamente mais perigosa. Porque então você adiciona raça e adiciona a mídia social." Lady Di teve depressão e morreu num acidente de carro ao ser perseguida por fotógrafos da imprensa sensacionalista, em 1997. E o príncipe conta que foi justamente isso que mais fez com que ele se decepcionasse tanto com o pai. "Eu me sinto muito decepcionado porque ele passou por algo semelhante, ele sabe o que é sentir essa dor", relata Harry.


"Eles usaram meu nome para tudo. E quão injusto é isso. Eu larguei minha carreira, larguei minha vida, larguei tudo porque eu amava ele. Nosso plano era viver isso para sempre. Eu estava dedicada a isso. Disse em cartas para a família que estava à disposição. Ninguém me preparou para o serviço que eu estava fazendo.”

Final feliz


O casal revelou que está esperando uma menina e que não pretende ter mais filhos. "Este é só começo para nós. Ele nos salvou. Tivemos que encontrar uma forma e ele salvou nossa família. É melhor do que qualquer conto de fadas" afirma Meghan.



A entrevista completa será exibida pelo canal GNT, na quinta-feira (11), às 22h30.


____

Com atualizações diárias, a categoria "Notícias" é para quem quer ficar por dentro de tudo o que acontece com as mulheres (e para as mulheres) dentro do mundo da cultura.