Madonna: 6 performances da Rainha do Pop que deram o que falar

Depois de relembrar sua trajetória até o estrelato e explicarmos como Madonna mudou a música para sempre, chegou a hora de nos despedirmos da Mana do Mês de agosto. E a melhor forma de aclamar a Rainha do Pop é com uma seleção das performances mais memoráveis da cantora.


Não foi fácil definir os itens dessa lista — afinal, estamos falando de 40 anos de carreira —, mas, depois de muito choro e nostalgia dessa fã que vos fala, consegui escolher seis apresentações da Madonna que deram o que falar. E aí, qual é o seu show favorito da Rainha do Pop?

Vogue no MTV Awards (1990)



Antes de tudo: Madonna sequer tem um microfone nessa apresentação para esconder que está dublando a música. Isso é mais do que suficiente para dizer que o objetivo não é ouvi-la ao vivo, e sim abrir bem os olhos e prestar atenção aos visuais (lembrando que não foi à toa que Vogue ganhou três prêmios nesta edição da cerimônia: Melhor Direção, Melhor Fotografia e Melhor Edição).


Com um cenário opulento de realeza e vestimenta estilo Maria Antonieta, Madonna e as dançarinas carregam leques e fazem acrobacias surpreendentemente sincronizadas. A coreografia é ousada como é de feitio da artista, com gestos polêmicos como pegar nos seios, levantar a saia e agarrar homens. Destaque para os dançarinos de Madonna: além de serem talentosos, é interessante a representatividade, com a presença de hispânicos e pretos no palco.


Medley com Missy Elliott, Christina Aguilera e Britney Spears no VMAs (2003)



Todo mundo se lembra bem dessa apresentação pelos beijos trocados entre Madonna com Christina Aguilera e Britney Spears. Claro que esse é o ponto alto do show, mas a Rainha do Pop buscava muito mais do que isso com a performance: por exemplo, ela canta Hollywood, música do álbum cheio de críticas American Life (2003) e com trechos como “aperte o botão, não aperte o botão, troque de canal” para ironizar dos comandos imperativos emitidos pela cultura comercial.


A apresentação começa com uma espécie de releitura da polêmica performance de Like A Virgin de Madonna, lá na edição de 1984 da premiação, com XTina e a Princesa do Pop vestidas de noivas enquanto cantam o hino sugestivo. Madonna foi aplaudida de pé por todos ao surgir no palco, vestida de paletó como se fosse o noivo delas.


Like A Virgin na turnê Blond Ambition (1990)



A edição de Like A Virgin impactou muita gente no VMAs em 1984, mas a verdade é que Madonna foi até recatada na performance por ser televisionada. Mas na turnê Blond Ambition a palavra dela é lei porque ela é a rainha, então Madonna não tinha ninguém para impedi-la. A música ganhou uma releitura com vibe indiana, acompanhada de instrumentos como a cítara, e Madonna a performou deitada em uma cama no palco.


Resultado: a coreografia claramente simulava masturbação feminina, com gestos na região da pélvis e suspiros ao microfone. Essa dança em especial rendeu muitas polêmicas durante a turnê: o Papa tentou impedir o show na Itália, e a polícia de Toronto, no Canadá, ameaçou prender Madonna por atentado a pudor. No final das contas, os ingressos esgotaram e nada aconteceu com a cantora.


Medellín com Maluma no BMAs (2019)



Medellín no Billboard Music Awards é o tipo de apresentação que muita gente acha ridícula hoje em dia, mas em alguns anos deve ser vista como inovadora. Madonna desembolsou US$ 5 milhões (não vou nem converter isso em reais porque o dólar está caríssimo, então dá para entender que é muito, muito dinheiro) para criar versões suas em holograma que dançam pelo palco e interagem com pessoas.


As projeções tecnológicas ilustram as várias personas de Madonna no Madame X (2019) e podem parecer toscas, mas pensa que é algo arriscado que poucos tentaram até agora — vai que isso vira tendência no futuro? Maluma pode ter performado ao lado de Madonna, mas fica claro que é ela quem manda ali.


Medley na Eurovision (2019)



A apresentação de Madonna na Eurovision foi muito polêmica por motivos políticos. Quando veio a público que ela aceitara o convite de participar do evento europeu, muitos criticaram a artista, já que a competição musical foi sediada em Tel Aviv, Israel e — bom —, para quem não sabe, a ideia de reconhecer o Estado da Palestina continua bem esquecida no churrasco por Israel, Estados Unidos e cia.


Madonna celebrou os 30 anos do lançamento de Like A Prayer cantando uma versão da música e apresentou Future, seu feat com Quavo no Madame X, além de trechos de Dark Ballet. Tudo parecia estar indo bem, até que… O show termina com dois dançarinos vestindo as bandeiras da Palestina e de Israel nas costas, de mãos dadas, e a mensagem "Despertem" é exibida no telão. Baita recado, né?


Medley no Super Bowl (2012)



O show do intervalo do Super Bowl… Por onde começar? Teve Vogue versão gladiador, acrobacias na arquibancada, trocas de figurino, dança em slackline… Uma cantora como Madonna não tem problemas em encontrar suas músicas mais famosas para formar pouco menos de 15 minutos de show — um repertório desses, bicho!! —, e ela foi sagaz em sua seleção: os clássicos estavam lá, e ainda deu para estrear o single Give Me All Your Luvin, do MDNA (2012), com M.I.A. e Nicki Minaj.


Esperta como sempre, Madonna trouxe ao palco artistas populares para renovar sua imagem, como o duo LMFAO. Ninguém se lembra deles agora, mas em 2012 todo mundo cantava “party rock is in the house tonight…” nas baladinhas. 114 milhões de pessoas viram à apresentação de 12 minutos, que se tornou o show mais assistido do Super Bowl, e Madonna foi o assunto mais comentado do Twitter, com 10.245 tuítes por segundo — na época, ela gerou o terceiro maior tráfego na história da rede social.


____

Listas semanais com dicas selecionadas sobre filmes, séries, músicas, livros e peças teatrais. É nessa categoria que você descobre sugestões do que assistir nas plataformas de streaming ou o que fazer em um dia atoa em casa.