Crítica: Gloria Groove e a quebrada paulista de “LADY LESTE”

A curiosidade matou os fãs, mas a gatona está viva demais mesmo. Na última quinta-feira (10), fomos agraciadas com o álbum “LADY LESTE”, de Gloria Groove. Depois da era R&B de “Affair” (2020), uma das nossas drags favoritas faz um retorno triunfal ao pop, mas sem se limitar a um gênero específico. Mas, afinal, o que esperar do segundo álbum de carreira de Gloria Groove: dança na balada ou choro no rolê?



É Lady Leste, bebê!

As quatro primeiras faixas apresentam e deixam bem claro a vibe do álbum. É para chegar dançando mesmo que o projeto é épico. “SFM” abre o projeto preparando o terreno com um funk bem paulista - tanto que é um feat com MC Hariel. Logo depois vem “BONEKINHA”, que já conhecemos há mais tempo, com um mix de funk e rap (bem Gloria Groove, né?).


“VERMELHO” vem logo depois e, se o funk estava mais discreto, agora veio com força. Com sample de “Mina de Vermelho” de MC Daleste, funkeiro da Zona Leste de São Paulo assassinado em 2013 durante um show. Aqui já fica bem claro que Gloria Groove quer gritar suas origens para o mundo e, claro, tocar em muitas festas (2 anos de pandemia faz isso, né?). “FOGO NO BARRACO”, com MC Tchelinho, segue o caminho do funk, mas agora com toques de samba. É a cara dos Arcos da Lapa de noite ao fundo (desculpa, carioca aqui).




Feats podem ser superestimados?

“TUA INDECISÃO”, feat com Sorriso Maroto, é um pagode no melhor estilo “Numanice”. Acredito que o Lud Session teve influência na construção dessa faixa. Não me entendam mal, eu gostei. É uma ótima sofrência para um churrasco com piscina e caixa de som. E eu acho muito importante essa chegada dos LGBTQIA+ no pagode, o Brasil precisa dessa união. Mas admito que achei a faixa um pouco perdida no projeto. Separado, ótimo. No conjunto da obra, destoa demais.


Leia também: A representatividade que faltava no pagode: Numanice, novo EP de Ludmilla


“APENAS UM NENÉM”, com Marina Sena, foi um dos feats mais aguardados e que gerou muito burburinho na internet. Um sertanejo/arrocha à la "Cheias de Charme" (eu consigo imaginar essa música na trilha sonora da novela) é curioso nas vozes de Gloria e Marina. Mas, infelizmente, esquecível e destoante do projeto. Dito isso, consigo ver viralizando com alguma trend com dança duvidosa no TikTok.


Independente do rolê, a casa é na Zona Leste

“JOGO PERIGOSO” faz a gente relembrar porque estávamos ouvindo “LADY LESTE”. Um quê de funk, pop e reggaeton, é o hit para tocar em todo tipo de balada naquele esquenta para o funk e agradar todos os públicos. “GRETA” reafirma o empoderamento do álbum e traz um toque de hip hop que ainda estava bem discreto. As batidas fortes também confirmam a urbanidade da quebrada paulista o e puxam a faixa seguinte, “PISANDO FOFO”.



Mais um feat, agora com Tasha & Tracie. A dupla de rappers estão conquistando o país (e o mundo) com um som que carrega rap, trap, hip hop e funk - e “PISANDO FOFO” traz tudo isso e mais um pouco. Essa faixa, para mim, é o feat que mais se adequa ao conceito do “LADY LESTE” - e, a meu ver, uma das melhores do álbum. Começa a trazer, também, a temática do show business, que é explorada nas três músicas seguintes.


Crescer muito não é fácil

“LEILÃO” já bombou na internet como single e, como parte do todo, também se destaca. É aqui que ela começa a falar, em tons debochados, da fama, do sucesso e de como realmente funciona o show business. As batidas fortes anteriores continuam e, aqui, se tornam a principal marca da faixa.


“LSD” já quebra, mais uma vez, a vibe do álbum. Mas, dessa vez, não acho que incomoda tanto (pelo menos a identidade ainda está ali). O deboche da fama agora se torna quase uma nota de pesar - os vícios da vida luxuosa tomam o protagonismo nessa faixa. Com influências do R&B, a faixa relembra EP “Affair”. Mas, se você pensa que o álbum vai terminar pra baixo, pode continuar ouvindo que logo depois vem a querida “A QUEDA”. Sinceramente, eu nem vou comentar porque não sei se conheço palavras suficientes para descrever essa obra de arte do pop brasileiro.



Encerrando o rolê paulista com chave de ouro

Você pode pensar: que faixa é capaz de encerrar o álbum vindo logo depois de “A QUEDA”? Gloria Groove e Priscilla Alcântara te respondem: “SOBREVIVI”. A última música é outro feat e desses de te deixar querendo estar presente num show ouvindo e gritando. Traz toques fortes do pop rock (uma tendência do pop para 2022, né?) e do gospel (sim). Um bom jeito de finalizar o projeto.


De maneira geral, é um excelente álbum. Completo e coeso, com exceção de duas faixas meio perdidas - que, talvez, poderiam ter sido lançadas como singles ou mesmo numa versão deluxe do álbum. Fora isso, “LADY LESTE” é uma representação clara do potencial e da força do pop brasileiro. Gloria Groove, mais uma vez, provou ser uma artista completa e nos deixar de boca aberta.






____


Quer saber nossas impressões sobre diversas obras das mulheres na cultura? Cinema, música, literatura, teatro e muito mais. Tudo isso, duas vezes por semana, na categoria “Crítica”.