5 mulheres reais que inspiraram personagens fictícias

A vida imita a arte… Ou será que é o contrário. Nessa lista vou te apresentar a história de cinco mulheres que foram inspirações para a criação de personagens ficcionais que eu tenho certeza que você conhece. Vamos lá?


Beatrice Wood - Titanic



Em 1912, no mesmo ano do afogamento do Titanic, Beatrice Wood se revelou contra a sua família para seguir carreira artística. Contrariando os costumes da alta-sociedade daquela época, a mãe de Wood a enviou para a França para que ela aprendesse arte em uma grande escola. Mas o que essa história tem a ver com Rose Dawson, personagem do filme Titanic (1997)?


James Cameron, roteirista e diretor do filme, leu a autobiografia de Beatrice, intitulada I Shock Myself e, durante a leitura, percebeu que sua personagem deveria ter o mesmo espírito corajoso e vontade por liberdade que Wood. No ano de lançamento do filme, Cameron foi visitar a artista, juntamente com Gloria Stuart, atriz que interpretou Rose mais velha, e levou uma cópia em DVD do filme.


A história de romance marcada pelo drama, felizmente, é muito diferente da vida de Wood que, em todos os seus anos de vida, desenvolveu trabalhos em diversas áreas da arte de maneira célebre. Ela faleceu em 1998, um ano após o lançamento do longa, aos 105 anos.


Catherine Cleary Wolters - Orange is the New Black



A série Orange is the New Black (2013 - 2019) é um fenômeno mundial. Com sete temporadas e mais de 90 episódios, ela mostra a vida de presidiárias em uma penitenciária feminina nos EUA. Muitas pessoas não sabem, mas a história contada nas telas é inspirada no livro de mesmo nome de Piper Kerman que, por sua vez, se baseou em sua própria vida para escrever a história.


Entretanto, hoje vamos falar sobre Catherine Cleary Wolters, a inspiração para a criação da personagem Alex Vause. Wolters, que em várias entrevistas disse que a série foca em mostrar apenas as partes boas da relação entre as duas, lançou o livro “Out of Orange”, em que conta a sua versão da história.


O livro de memórias foi feito, principalmente, para desvencilhar a sua imagem e a sua história da personagem criada por Kerman. Catherine teve a ideia de escrever sobre a sua vida após ver uma entrevista da autora em que ela falava abertamente sobre o crime cometido e o período em que ficou presa. Em entrevista, Wolters disse que é admirável ver mulheres contarem as suas histórias e inspirarem outras mulheres que vivem na mesma situação, assim como ela e Piper fizeram.


Dona Romana - O Outro Lado do Paraíso



A novela O Outro Lado do Paraíso (2017 - 2018) se passa no Jalapão, localizado no estado de Tocantins. Uma das personagens mais emblemáticas da trama foi inspirada em uma mulher real. A Senhora Mercedes, interpretada pela brilhante Fernanda Montenegro, é baseada na vida de Dona Romana, uma famosa vidente que vive da cidade de Natividade.


Na novela, Mercedes ouve vozes que anunciam acontecimentos futuros e esclarecem o passado e o presente. Dona Romana também tem uma conexão com os espíritos e, inclusive, foi através de uma mensagem deles que ela largou tudo há mais de 30 anos e se mudou para o Sítio Jacuba. A propriedade, assim como a casa de Mercedes na novela, é envolta em mistérios.


Em visita ao local, o escritor Walcyr Carrasco, responsável pelo roteiro da telenovela, foi recebido pela Dona Romana e conheceu mais sobre suas crenças e seu estilo de vida e, embora ela não possua nenhum aparelho de televisão para acompanhar a trama, Dona Romana disse em entrevista que ficou muito satisfeita com a novela porque os espíritos e os astros também ficaram.


Michelle Philpots - Como se fosse a primeira vez



Você já imaginou acordar todos os dias da sua vida sem se lembrar do que aconteceu nos últimos dias, semanas e até anos? Nós vimos isso no filme Como se fosse a primeira vez (2004) quando Henry Roth, interpretado pelo Adam Sandler, conhece Lucy Whitmore, interpretada por Drew Barrymore, uma artista local que sofre com a "Síndrome de Goldfield", uma representação fictícia da amnésia anterógrada.


Lucy acorda todos os dias sem lembrar dos acontecimentos da sua vida que sucederam o acidente de carro ocorrido no dia do aniversário do seu pai; em outras palavras, ela vive o mesmo dia todos os dias. Essa história parece estar em um lugar bem longe da realidade, né? Mas, para criar essa personagem, o roteirista do filme se inspirou na vida da britânica Michelle Philpots.


Michelle passou por dois grandes acidentes na sua vida, um em 1985 e o outro em 1994, ano em que ela desenvolveu a amnésia. Diferente de Lucy, que esquece os acontecimentos enquanto dorme, Philpots possui um ritmo de esquecimento mais acelerado, podendo esquecer coisas que aconteceram há horas, ou até minutos, antes do momento presente.


Esther Earl - A Culpa é das Estrelas



Quando o romance A Culpa é das Estrelas foi lançado em 2012, ele rapidamente se tornou um dos livros mais comentados e alcançou o topo da lista de best-sellers no NY Times, em que ficou durante um longo período. A verdade é que jovens do mundo inteiro estavam obcecados pela história de Hazel Grace e Augustus Waters.


O que muitas dessas pessoas não sabiam é que a Hazel realmente existiu na vida real e, durante vários anos da sua luta contra o câncer, ela compartilhou toda a sua jornada no seu canal no Youtube. Esther Earl foi diagnosticada com câncer de tireoide e tumores no pulmão quando tinha apenas 12 anos.


A adolescente participava de vários fóruns pela internet com outros jovens que enfrentavam o mesma doença que ela, e foi em um destes fóruns, em 2009, que ela conheceu o autor John Green. Esther faleceu em 2010 com apenas 16 anos. Os pais dela fundaram uma instituição chamada “This Star Won’t Go Out”, que visa ajudar famílias de jovens que lutam contra o câncer. Em 2014, eles lançaram um livro, com o mesmo nome da instituição, que contém cartas e passagens do diário da Esther.


____


Listas semanais com dicas selecionadas sobre filmes, séries, músicas, livros e peças teatrais. É nessa categoria que você descobre sugestões do que assistir nas plataformas de streaming ou o que fazer em um dia à toa em casa.