5 artistas esnobadas pelo Oscar

A temporada de premiações vai se aproximando e a gente já começa a se preparar para as maratonas. Embora essa seja uma data muito especial para os amantes de qualquer arte premiada nesse período, também é motivo de muita decepção quando percebemos que aquele álbum incrível não foi indicado, aquele filme que te deixou pensando por dias nem foi cogitado e por aí vai.


Verdade seja dita, a gente já sabe bem que existe um clubinho bem definido que decide quem entra ou não nessas indicações. E, na maioria das vezes, os felizardos são homens e mulheres brancas que são muito bem vistos pelos jurados. Não existe outro modo de falar e os protestos como o “Oscars So White” e o “Me Too” não me deixam mentir: essas premiações são (extremamente) racistas e machistas. Ponto.



Fazendo uma breve pesquisa para essa lista, me deparei com a recente notícia de que a Viola Davis se tornou a mulher preta mais indicada na história do Oscar com um total de quatro (q-u-a-t-r-o) indicações, sendo também a única mulher preta com duas indicações na categoria de Melhor Atriz. Isso me lembrou o discurso da atriz no Oscar 2017 quando ela disse que ela só pode ser indicada pois escreveram um roteiro que dava destaque e oportunidade para uma mulher preta.


Realmente, é bem difícil ser indicada para uma premiação quando você nem é chamada para papel de destaque em um filme (e olha que ainda nem estamos falando das categorias técnicas onde temos a maior concentração de homens brancos por metro quadrado). Mas, e se isso acontece e mesmo assim você é completamente ignorado.


Esse é o ponto da nossa lista, indicar mulheres incríveis, que fizeram trabalhos incríveis nos últimos anos e foram completamente ignoradas pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.


Pam Grier



Lançado em 1997, o filme Jackie Brown traz a história de uma comissária de bordo que é envolvida em um esquema de tráfico de dinheiro e precisa lidar, ainda, com dois policiais a chantageando para ela entregar a quadrilha principal. Correndo risco por todos os lados, ela decide enganar todos os envolvidos. O filme de ação foi o primeiro a ter uma mulher preta como protagonista e, mesmo tendo sido indicada no Globo de Ouro, Sag Awards e NAACP Image Awards, Pam Grier não ganhou sequer uma indicação para o Oscar.


Ruth Carter



Se você é fã do universo Marvel, com certeza apreciou o trabalho de Ruth Carter no filme Pantera Negra, filme que rendeu o primeiro Oscar para a figurinista. Bem, você deve estar se pensando “então ela não foi esnobada coisa nenhuma”, mas a realidade é bem diferente. Ruth já é uma profissional bem renomada no mercado de Hollywood e, além de ter uma parceria de longa data com o Spike Lee (como no filme Malcolm X), a figurinista era um dos nomes mais cotados para ganhar a categoria de Melhor Figurino com o filme Meu Nome é Dolemite. Entretanto, o filme foi ignorado completamente pela Academia e vimos o primeiro prêmio de Carter chegar com alguns bons anos de atraso.


Awkwafina



Se sentimos a falta de pessoas pretas na maior premiação do cinema, devemos voltar nossos olhos também para as pessoas amarelas. Embora a premiação de 2020 conte com dois indicados com descendência asiática (Chloé Zhao na categoria de Melhor Direção e Steven Yeun concorrendo como Melhor Ator) a falta dessa parcela da população é sentida há muitos anos.


Quando o filme The Farewell foi lançado em 2019 muitos esperavam que a dramédia seria figurinha garantida na premiação. Além da direção de Lulu Wang, a interpretação de Awkwafina também foi muito elogiada e, adivinhem? Exatamente! Nenhuma indicação ao Oscar. Bem, no mínimo eles acharam que a presença de Parasita já preenchia espaço suficiente, né?


Lupita Nyong'o



Talvez uma das presenças que mais fez falta no Oscar nos últimos anos. Depois do sucesso de Corra, Jordan Peele se aventurou em mais um filme de terror com alto teor de suspense e desespero. Nós ganhou a presença de Lupita Nyong’o como protagonista e, sinceramente, deixar esse filme de lado para entregar indicações para Ford Vs. Ferrari e História de um Casamento, parecia uma piada sem nenhuma graça.


A falta de indicações para a atriz levantou uma discussão importante. Lupita ganhou a categoria de Melhor Atriz Coadjuvante em 2014 pelo filme 12 Anos de Escravidão e, depois de ser completamente esquecida pela Academia em 2020, surgiram inúmeos comentários na internet criticando a premiação por premiar pessoas pretas apenas quando elas interpretam escravos. Depois de ignorar completamente uma dupla interpretação magnífica da atriz em Nós, realmente é essa mensagem que a premiação passa.


Amy Adams



Conhecida como “a nova DiCaprio”, Amy Adams coleciona seis indicações ao Oscar e um total de zero vitórias. Os amantes da sétima arte, depois de verem a atriz ser esnobada completamente em filmes como A Chegada (onde ela não recebeu sequer a indicação) estavam esperançosos com a participação de Amy em Era Uma Vez um Sonho. Entretanto, não será esse ano que ela conquistará o seu primeiro prêmio. Sem nenhuma indicação, Adams se torna, com certeza, uma das grandes faltas na premiação.


____




Listas semanais com dicas selecionadas sobre filmes, séries, músicas, livros e peças teatrais. É nessa categoria que você descobre sugestões do que assistir nas plataformas de streaming ou o que fazer em um dia atoa em casa.